Histórico

No dia 15 de julho de 1982, em Assembléia Geral de Constituição, convocada pelo Dr. João Carlos de Souza Meirelles, com a presença de significativos representantes do setor, entre os quais Fábio de Salles Meirelles, Rubens Franco de Mello, Alberto ChapChap, Luis Mendes Prates, Geraldo Bordon, José Mario Junqueira de Azevedo, foi constituída uma entidade de âmbito nacional, de natureza civil, sem fins lucrativos, estritamente ligada à pecuária nacional, que seria denominada Conselho Nacional da Pecuária de Corte, CNPC.

A fundação da entidade foi incentivada pelo ex-governador de São Paulo, Roberto Costa de Abreu Sodré, cafeicultor e pecuarista.
Abreu Sodré havia criado uma entidade semelhante ,o Conselho Nacional do Café.

Foi secretário nessa primeira reunião de instalação do CNPC o Dr. Manoel Elpídio Pereira de Queiroz Filho, e teve como presidente da mesa diretora o Dr. João Carlos de Souza Meirelles, que a seguir promoveu a aprovação do Estatuto da entidade e a Eleição do Conselho Nacional, da Diretoria e das Diretorias Regionais.

A primeira Diretoria ficou assim constituída: Dr. João Carlos de Souza Meirelles ? presidente; Dr. Lauro José A. Tavares ? 1º vice-presidente, e Dr. Manuel Henrique Farias Ramos ? 2º vice-presidente.

No decorrer do tempo outros empresários passaram a participar, como Ferdinando Carollo, inventor do corte da picanha, e José Milton Dallari pelo setor de carnes.Também o de insumos com Nelson Antunes e Sebastião Costa Guedes, zebuínos com Rômulo Kardec de Camargos, Ovídio Carlos de Brito e José Olavo Borges Mendes, e a região Nordeste com Francisco Everton da Silva. A região Norte com Carlos Fernandes Xavier, Gastão de Carvalho, o Centro Oeste com Laucídio Coelho Neto, Zeca D’Avila e Antonio Morimoto. Do Rio Grande do Sul vieram Hugo Giúdice Paz, Geraldo Pereira de Souza e Carlos R. Sperotto entre outros. Vieram posteriormente Gilman Viana Rodrigues,Antenor de Amorim Nogueira, Ângelo Mario de Carvalho e Silva, Jaime Fernandes, Antônio de Oliveira Pereira, Geraldo Petreche, Josaphat de Azevedo Filho, José Magno Patto, Alexandre Jacewicz, e Fernando Adauto Loureiro Souza. Mais recentemente participam, o deputado de Tocantins Sandoval Lobo Cardozo,Emílio Salani, Tirso de Salles Meirelles,Miguel Russo Neto, Paulo Reimann e muitos outros.

Desde sua fundação a entidade foi sucessivamente presidida por João Carlos de Souza Meirelles, Antonio Russo, Manuel Henrique Ramos e por Sebastião Costa Guedes,que atuou como presidente em exercício de janeiro de 2005 a março de 2007, pois era o primeiro vice-presidente quando o então titular licenciou-se.
Em março de 2007, Guedes foi então eleito presidente para um mandato de 3 anos

Hoje, o CNPC com representação nacional está dividido em 12 regiões, com um total de 60 membros no Conselho, sendo 14 membros eleitos para os cargos de diretoria e 46 para os cargos de diretorias regionais, indicados pelo Presidente e aprovados pela Diretoria, bem como seus respectivos suplentes, com mandato de 03 (três) anos.

 

Presidente de Honra
João Carlos de Souza Meirelles
Engenheiro Civil ? Escola Politécnica ? USP

Vereador (1964-1972) e Presidente (1971) ? Câmara Municipal de São Paulo.

Presidente da Associação de Empresários da Amazônia ? AEA ? 1975 – 1982

Presidente do Conselho Nacional de Pecuária de Corte (1983 ?1998) e Coordenador do Fórum da Cadeia Produtiva de Pecuária Bovina do Mercosul (1994 ? 2002).

Vice-Presidente do Secretariado Mundial de Carnes IMS-International Meat Secretariat (2002 – 2008).

Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (1998 2002).

Secretário de Turismo do Estado de São Paulo (de janeiro 2003 a junho de 2005).

Secretário da Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo (2003 – 2006)

Ex-presidentes da entidade:

João Carlos de Souza Meirelles, pecuarista

Antônio Russo, Industrial

Manuel Henrique Farias Ramos, comerciante varejista

Sebastião Costa Guedes, médico veterinário, setor de insumos

© Copyright 2001 - 2016 - Todos os direitos reservados.
CNPC – Conselho Nacional da Pecuária de Corte
Paradoxo Digital