30/08/2018 - Notícias CNPC

Com fim da taxa de exportação do wet blue, dando mais competitividade, mercado espera que produtor ganhe pelo couro

Mapa/Secex/Camex decidiram em reunião nesta quarta (29) e agora vai ser publicada no DO. Imposto está em torno de 9% (já foi menor) e servia para ajudar a indústria calçadista. Pleito antigo do conjunto da cadeia e que agora, com menos custo carregado nos embarques, setor pecuarista espera ganhar também, mas precisa garantir regularidade e qualidade.

 

Sebastião Guedes – Vice-Presidente do Conselho Nacional da Pecuária de Corte

 

Após 18 anos de aplicação de imposto de exportação ao couro wet blue e 26 anos para o couro salgado, o Comitê Executivo de Gestão (Gecex), da Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou a retirada da alíquota. O pedido de exclusão foi defendido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a partir de solicitação da Associação Brasileira de Frigorífico (Abrafrigo) referendada pela Sociedade Rural Brasileira (SRB), pela Confederação Nacional de Agricultura (CNA) e pela Associação Brasileira de Criadores (ABC).

No Mapa, o entendimento foi de que o imposto de exportação era distorcivo e que a melhor estratégia para o desenvolvimento da produção é a adoção de medidas que visem ganhos a todos os elos da cadeia, até o produto final. De acordo com a Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do ministério, há disposição de dialogar com representantes do setor de forma a construir uma agenda estruturante que foque na melhoria do couro nacional.

Foram realizadas reuniões técnicas com o objetivo de elencar os elementos para subsidiar os ministérios que integram a Camex (Casa Civil, Secretaria Geral da Pressidência da República, Mapa, Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, das Relaões Exteriores, da Fazenda, dos Transportes e do Orçamento e Gestão.

 

Fonte: Notícias Agrícolas

© Copyright 2001 - 2018 - Todos os direitos reservados.
CNPC – Conselho Nacional da Pecuária de Corte
Paradoxo Digital